Pesquisar neste blogue

A carregar...

Tradutor

sexta-feira, Outubro 31, 2014

Celebrating Family on All Saints Day, Cabanas, 1-Nov

One of the most important traditions in Portugal is the visit to the cemetary on the  1rst of  November, All Saints Day (Dia de Todos os Santos).  

Praying for the souls of  the great-great-grandparents around their grave, is one way to meet  the cousins and distant relatives and to catch up on family news.


Uma das tradições mais importantes em Portugal é a visita ao cemitério no 1º de novembro, Dia de Todos os Santos .

Rezar pela alma dos  avós e bisavós, em torno à sua sepultura, é uma maneira de encontrar os primos e familiares  mais afastados e de acompanhar as notícias da família.


 


sábado, Julho 19, 2014

Novos orgãos da FUNDAÇÃO ARISTIDES DE SOUSA MENDES ...

The Fundação Aristides de Sousa Mendes  published the names of its new gover ning bodies, a Code of Conduct, but does not publish its By-Laws  old nor new, in contrast with the best governance practices. Therefore  it is not possible to know the nomination criteria. 
Noteworthy  that the sitting  Mayor of Carregal Sal  is no longer a member of the Board of Directors, so the public sector, which provides most of the funding, is not represented.  
The Fundação Aristides de Sousa Mendes  is a private foundation with majority public capital, with total assets of EUR 646 400 and expenses fo about  EUR 19.000  in 2013.  

Recordando o Aniversário de Aristides de Sousa Mendes, e do seu gémeo César. 

Estão publicados os nomes do órgãos sociais da Fundação Aristides de Sousa Mendes, o Código de Conduta, mas não os Estatutos, nem os antigos nem os novos, por isso não é possível conhecer os critérios de nomeação. 
Note-se que o Presidente da Câmara de Carregal do Sal (em exercício) deixou de fazer parte dos órgãos sociais.  
A Fundação Aristides de Sousa Mendes é uma fundação privada de capitais maioritariamente  públicos, com activos totais de 646,4 mil euros e despesas de cerca de 19 mil euros em 2013. 

PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO
Maria de Jesus Simões Barroso Soares

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – 9 Membros
. Presidente: José Maximiano de Albuquerque Almeida Leitão (novo)
. Vogais: Álvaro Rodrigo Alpoim de Sousa Mendes
António Pedro de Moncada de Sousa Mendes
Atílio dos Santos Nunes
Irene Flunser Pimentel  (novo)
João Mário Eusébio de Mascarenhas (novo)
Luís Humberto da Costa Fidalgo
Maria do Carmo Guerreiro Vieira Sousa Miranda Raposo  (novo)
Paulo Jorge Albernaz Leite Marques (novo)

COMISSÃO EXECUTIVA – 3 Membros
. José Maximiano de Albuquerque Almeida Leitão (novo)
. Luís Humberto da Costa Fidalgo
. Maria do Carmo Guerreiro Vieira Sousa Miranda Raposo (novo)

CONSELHO GERAL – 8 Membros
. Presidente – Francisco Fernando de Moncada de Sousa Mendes (novo)
. Conselheiros:  João de Figueiredo Rodrigues (novo)
José Manuel Botelho de Sousa Cymbron
José da Mata de Sousa Mendes (futuro vice-presidente) (novo)
Maria da Conceição Ferreira Tomé Cosme da Silva Rolo (novo)
Maria de Jesus Candeias (novo)
Maria Leonor Lourenço Tavares Videira de Amaral (novo)
Maria Raquel Limão de Andrade (novo)

CONSELHO FISCAL – 3 Membros
. Presidente – Rodrigo Pais Rodrigues de Almeida (novo)
. André Pinto de Sousa Carrilho Granado (novo)
. André Seabra dos Santos Cymbron (novo)

quarta-feira, Julho 16, 2014

Encontro - Futuro para a Casa do Passal, Cabanas de Viriato

Era para ser a 19-Julho,  aniversário do nascimento de Aristides de Sousa Mendes, mas foi adiado pelos organizadores

COMBOIO DA ESPERANÇA:  EM CONJUNTO IREMOS PENSAR O FUTURO DA CASA DE ARISTIDES SOUSA MENDES. Teremos de pensar e dar o contributo para a recuperação daCasa do Passal  
Ecoforum, Pe João Figueiredo Rodrigues (http://www.ecoforum.pt/)
Basta apenas que se inscrevam no ecoforum.pt e terão acesso ao COMBOIO DA ESPERANÇA usando sempre a ÚLTIMA PORTA DA ÚLTIMA CARRUAGEM da CP . Quem se inscreve não precisa pois de tirar qualquer bilhete; qualquer problema terá de ser resolvido sempre pela Equipa Coordenadora...
Programa
8:30 - Partida de Lisboa - S.ª Apolónia
8:52 - Partida do Porto - Campanhã
10:37 - Partida de Coimbra B
11:30 - ESTAÇÃO DE OLIVEIRINHA/Cabanas - Ponto de Encontro e Reencontro
14 H. - Os passos da CASA DO PASSAL ao CAMPO DAS OLIVEIRAS
15:30 - "PARÁBOLA DO BANQUETE" - celebração da Paz com crianças apresentadas por 7 expressões culturais e religiosas presentes em Portugal.
INSCRIÇÃO até às 12 horas do dia 15 de Julho - acessível [ AQUI ]


Em carris de morte 
Se atravessa a coragem
A iluminar de esperança
Os caminhos do tempo…




terça-feira, Julho 08, 2014

Museus do Centro com mais público com gestão de proximidade

Celeste Amaro, diretora regional de Cultura do CentroTodos os museus da região Centro “cresceram” em visitantes e receitas

Posted by  ,27 Junho, 2014 at 16:35
Celeste Amaro, diretora regional de Cultura
caminho de três anos como diretora regional de Cultura – lugar que já havia ocupado em 2002 –, Celeste Amaro faz um balanço positivo do trabalho desenvolvido e garante que os cortes no setor não inviabilizaram o investimento em oito obras, das quais destaca a Casa de Aristides de Sousa Mendes.
Em que medida os cortes orçamentais, na Cultura, têm afetado a região Centro?
A partir do momento em que trabalho com um governo que me diz que é preciso cortar, eu não tenho outro remédio senão gerir o que me dão. Mas sempre digo que a nós, direção regional, coube-nos o que entendemos que deveria caber. Por isso, não posso dizer que tenha razões de queixa.
Mesmo com todos os cortes, quero dizer que, em 2014, consegui garantir um orçamento que me permite ter em curso oito obras. Ou seja, foi possível garantir um investimento global (nosso mais Feder) de três milhões de euros, para intervenções urgentes de conservação e reabilitação de património edificado.
 A reabilitação é prioridade assumida?
Absolutamente. Nós temos uma listagem exaustiva de edificações a necessitar de intervenção, mas nem todas são públicas, pois das oito obras em curso duas respeitam a construções privadas: a casa de Aristides Sousa Mendes e a igreja da Vista Alegre.
 Das obras em curso qual foi a mais urgente?
A Casa do Passal, de Aristides Sousa Mendes, em Cabanas de Viriato. Está há 50 anos abandonada e estava completamente a cair. Por isso, mesmo sendo de uma fundação privada entendemos que devíamos propor a sua recuperação. É claro que, por força do recurso a fundos comunitários, a Direção Regional de Cultura tem de ficar na posse do imóvel por um período de 10 anos.
 Quando acabam as obras na Casa do Passal?
Têm de estar terminadas antes do final do ano, espero que em Novembro. As obras, nesta primeira fase, respeitam apenas à recuperação exterior e interior, de paredes, portas, janelas e telhado. Depois, a utilização do espaço ficará a cargo da Fundação Aristides de Sousa Mendes.
 Acredita que pode funcionar como âncora para projetos turísticos e culturais?
Acredito que, no futuro, a casa recuperada pode trazer a Cabanas de Viriato e à região Centro muita gente, sobretudo gente com dinheiro, descendente das pessoas que o Cônsul em Bordéus ajudou a fugir aos nazis. Lembro, aliás, que há um ano veio a Portugal e à região um grupo enorme de judeus e, na altura, o jornal New York Times perguntou-me como era possível que Portugal mantivesse a casa como estava. Agora, felizmente, muita coisa mudou e a Sousa Mendes Foundation, que tem sede em Nova Iorque e que é gerida por um sobrinho-neto do Cônsul, já manifestou interesse em participar na segunda parte da intervenção na casa, eventualmente para a criação de uma casa-museu.
Aveiro foi relegada para a alçada regional e, ao contrário de Viseu, por exemplo, não continuara ficar na dependência de Lisboa. Hoje eu penso que essa questão já está esbatida até porque já todos percebemos que é mais fácil gerir com proximidade e não ficar à espera de Lisboa. Aliás, o Museu de Aveiro teve, depois disso, um aumento no número de visitantes, o que não acontecia antes, quando dependia de Lisboa.
 É geral esse aumento de visitantes?
Todos os museus na dependência da Direção Regional de Cultura aumentaram o número de visitantes. Penso que o facto de termos tornado os nossos museus um pouco mais abertos à comunidade terá trazido mais gente. Pode até acontecer que sejam visitantes que não vão para ver as coleções expostas mas vão a outras iniciativas que, até aqui, não havia nos museus.
 Esse crescimento deve ser creditado a quem?
A todos. Tanto aqui à Direção Regional como às diretoras e também é preciso não esquecer os funcionários. Os museus estão hoje todos abertos à hora de almoço e há também uma grande diversificação de iniciativas, desde o cinema ao teatro, à música, a dança e também a conferências ou outras iniciativas da sociedade civil.
 Mais visitantes quer dizer mais receita?
Bem, quando digo que os museus registaram um crescimento no número de visitantes não quer dizer que se tenham vendido mais bilhetes. Mas, por acaso, as receitas até aumentaram.
Também aumentou a aposta na divulgação?
É verdade. Tanto na divulgação direta, com grande aposta na internet, como junto de hotéis, autarquias e outras entidades.
 Isso significa que é boa a articulação com a Entidade Regional de Turismo?
Não. Nós nunca formos solicitados pela entidade regional. Nunca para aqui foi pedido o que quer que seja. Por isso, tem sido ao nível local, muito com as autarquias, que temos trabalhado. Mas é preciso ter em conta que, com o turismo, há um problema de base: está tudo por demais delimitado, ou seja, o turismo depende do Ministério da Economia e a cultura depende do primeiro-ministro. E esta compartimentação funciona assim há muito tempo.
 Mas isso não impede maior cooperação, nomeadamente, ao nível regional…
Talvez. Mas veja que, recentemente, houve alterações ao nível do turismo, com a Entidade Regional do Centro a ser alargada a 100 municípios… Agora, isso não impede que tenhamos reuniões. Aliás, eu já tive uma reunião com o senhor presidente da entidade regional, no gabinete do senhor secretário de Estado.
 Voltando aos museus, como tem evoluído o trabalho em rede?
Eu tenho procurado fazer reuniões regulares com as diretoras. É preciso que os responsáveis se ouçam uns aos outros. E a colaboração existe. Aliás, estamos a fazer com que os nossos museus levem as suas coleções a todos os outros. Olhe, por exemplo, na passada segunda-feira, dia 23, inaugurei no Museu Tavares Proença Júnior, de Castelo Branco, uma exposição que é do Museu Joaquim Manso, da Nazaré. Ou seja, estamos a levar uma exposição de barcos ao interior e este é um excelente exemplo de cooperação.
 O que está ainda por fazer?
Algumas coisas. Por exemplo, fazer um bilhete único, que possibilite a visita a vários museus na mesma cidade, sejam da nossa rede ou municipais ou outros. Aliás, pegando no caso de Castelo Branco, tive uma reunião com o presidente da câmara, também no dia 23, justamente para tratar de um caso concreto: o Tavares Proença Júnior tem, mesmo ao lado, o Jardim das Estátuas, que é da responsabilidade do município e nós queremos que o bilhete de acesso seja único.

Clube UNESCO Aristides de Sousa Mendes

Clube UNESCO Aristides de Sousa Mendes parte das Redes na Ação da Unesco  em defesa do Património Material e Imaterial, dos Direitos Humanos e Inclusão, e do  Desenvolvimento Sustentável,   http://www.bragatv.pt/artigo/2072

domingo, Julho 06, 2014

Obras na Casa do Passal

Contra as nuvens carregados de chuva de verão, a  bandeira portuguesa no topo da grua dá um sinal de esperança de virmos a ter, nesta década,  um memorial a Aristides de Sousa Mendes na sua Casa do Passal em Cabanas de Viriato.  

Isto depois de Aristides de Sousa Mendes ter sido reconhecido como Justo entre as Nações pelo Yad Vashem em 1966 e pela Assembleia da República em 1988.


sábado, Julho 05, 2014

“Comboio da Esperança” até Cabanas de Viriato, sábado 19-Julho-2014

A ANIMAR – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, com sede em Santarém e centro de coordenação em Vialonga (Lisboa), vai levar a efeito no próximo dia 19 de Julho a acção “Comboio da Esperança”, com a finalidade de criar um espaço cultural e ecológico em Cabanas de Viriato, denominado Campo das Oliveiras, resultante da mudança, para o efeito, das oliveiras plantadas frente à Casa do Passal, em 2011, aquando da actividade “Comboio da Boa Vontade”.

São sete as oliveiras que ali foram plantadas no dia 07 de Maio naquele ano, provenientes de sete regiões de Portugal, simbolizando as sete expressões culturais e religiosas com presença mais significativa em Portugal. Promovido igualmente pela ANIMAR, em parceria com a Confederação Portuguesa do Voluntariado, o “Comboio da Boa Vontade” surgiu no âmbito do Ano Europeu do Voluntariado.
Agora, numa segunda fase daquela iniciativa, a mudança das árvores para o espaço a que vai ser dado o nome de Campo das Oliveiras evoca o primeiro centenário do início da 1.ª Guerra Mundial (1914-1918) e os 129 anos do nascimento de Aristides de Sousa Mendes (Julho 1885), acontecendo três meses após o 60.º centenário da sua morte (Abril 1954).
Ao evocar aquelas efemérides, a ANIMAR pretende, sobretudo, sensibilizar os jovens para as causas da Paz, “também na expectativa de que os eventos em preparação ajudem a dar mais visibilidade aos territórios do interior, no sentido de uma maior fixação das populações”.
O “Comboio da Esperança” terá partida de Lisboa-Santa Apolónia às 08h30, de Porto-Campanhã às 08h52, de Coimbra-B às 10h37, e chegará à estação de Oliveirinha-Cabanas (Carregal do Sal) às 11h30, onde acontecerá o programado momento de “Encontro e Reencontro”.
As cerimónias junto à Casa do Passal, antiga residência de Aristides de Sousa Mendes, terão início às 14h00 com “Os passos da Casa do Passal ao Campo das Oliveiras”, seguindo-se, às 15h30, a “Parábola do Banquete”, celebração da Paz com crianças das sete expressões culturais e religiosas participantes na iniciativa de 2011.
As inscrições para o “Comboio da Esperança” decorrem até 15 de Julho, podendo fazer-se através dos seguintes contactos: 232712 001 / 277927435 / 968313014 / 934539200 / 913435303 / comboiodotempo@ecoforum.pt / ambitur@iol.pt / http://www.ecoforum.pt
Fonte: http://www.faroldanossaterra.net/2014/07/03/comboio-da-esperanca-faz-homenagem-a-aristides-de-sousa-mendes/