Pesquisar neste blogue

Tradutor

quarta-feira, abril 26, 2017

Presidente de Cabo Verde quer preservar passado do Tarrafal

Presidente de Cabo Verde quer preservar passado do Tarrafal: O Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, apelou para a preservação da memória do Campo de Concentração do Tarrafal, por onde passaram mais de 300 presos políticos durante o regime fascista e colonialista em Portugal.

terça-feira, abril 25, 2017

France - souvernir des victimes de déportation, 30-Avril

COMMUNIQUE DE PRESSE
Journée nationale du souvenir des victimes de la déportation
et de l’internement dans les camps de concentration,
au mémorial national du camp de Gurs
dans le département des Pyrénées-Atlantiques
Le 30 avril 2017 à 15 h 30

Le comité national français en hommage à Aristides de Sousa Mendes, dans le cadre de son action sur la mémoire de la Seconde Guerre mondiale 1939-1945 et la mémoire des Justes, des Résistants et de toutes les victimes de la barbarie nazie, a décidé, en 2017 de s’associer pleinement à l’initiative proposée par nos amis espagnols de l’association Terres de Mémoires et de Luttes afin de rendre hommage aux 61 100 personnes qui ont été internées au Camp de Gurs entre avril 1939 et décembre 1945.
Dans ce haut lieu de mémoire et de résistance qui fut le plus grand camp du sud de la France durant la période tragique de la guerre de 1939-1945 ont été internés :
·         26 641 Juifs originaires d’Allemagne, de Pologne, d’Autriche… dont 3 907 ont été déportés à Auschwitz où ils ont été exterminés,
·         25 577 Républicains espagnols dont 6 555 Basques exilés de la tragique guerre d’Espagne,
·         6 808 volontaires engagés dans les Brigades Internationales qui ont combattu en Espagne contre le fascisme et en France contre l’occupation allemande,
·         1 470 Résistants français responsables politiques syndicalistes et militants associatifs,
·         349 Résistants portugais majoritairement des communistes engagés dans la guerre d’Espagne,
·         200 Allemands et Autrichiens anti-nazis et anti-fascistes,
·         63 Tziganes.
Plus de 4 000 personnes prisonnières dans le Camp de Gurs ont été victimes de déportation dans les camps de la mort en Allemagne et en Pologne où ils ont péri exterminé par la barbarie nazie. Le Mémorial National du Camp de Gurs dans le département des Pyrénées-Atlantiques, en région Nouvelle Aquitaine est un haut lieu de mémoire et de souvenir de cette tragédie, témoin de l’histoire de la déportation vers les camps de concentration et d’extermination. Mais le camp de Gurs fut également un lieu où s’est organisé la Résistance au nazisme et au régime de Vichy à la France de la collaboration. Le Comité National Français en Hommage à Aristides de Sousa Mendes tient à participer à cette cérémonie du souvenir et à rendre hommage aux 349 résistants portugais internés à Gurs avec leurs frères d’armes espagnols. Notre Comité invite avec l’Association Terres de Mémoires et de Luttes, les Associations portugaises ou franco-portugaises de la région à s’associer à cette journée nationale du souvenir. La grande résistante Française, Lucie Aubrac, disait : « Résister se conjugue toujours au présent ». Hannah Arendt, philosophe et politologue juive allemande, résistante au régime nazi, internée à Gurs, montre l’horreur absolue de la barbarie nazie et crée le concept de « banalisation du mal ».


A historia de Aristides 1940 em terras do Tarrafal

Cinema luso-cabo-verdiano assinala 25 de Abril de 1974 em Cabo Verde com a história de Aristides de Sousa Mendes 1940

Cinema luso-cabo-verdiano assinala 25 de Abril de 1974 em Cabo Verde
A projecção do filme "Cônsul de Bordéus" e a apresentação da co-produção luso-cabo-verdiana "Os dois irmãos", que está a ser gravada em Cabo Verde, assinalam terça-feira, na cidade da Praia, o 43º aniversário da revolução de 25 de Abril.
Numa iniciativa do Centro Cultural Português na Praia, será exibido o filme "O Cônsul de Bordéus", baseado na vida de Aristides de Sousa Mendes e realizado por Francisco Manso e João Corrêa.
"O Cônsul de Bordéus" é protagonizado por Vítor Norte, no papel de Aristides de Sousa Mendes, o diplomata português que, à revelia de António de Oliveira Salazar, atribuiu cerca de 30 mil vistos a refugiados perseguidos pelo regime nazi, em 1940.
Será ainda apresentado o filme "Os dois irmãos", uma coprodução luso-cabo-verdiana do realizador Francisco Manso, baseada no livro com o mesmo nome do escritor cabo-verdiano Germano Almeida.
O filme, rodado em várias localidades do interior da ilha de Santiago, é totalmente interpretado por atores cabo-verdianos e conta com a banda sonora de Tito Paris.
Na apresentação, marcarão presença o realizador Francisco Manso e o escritor Germano Almeida.
Produzido pela Take 2000, o filme conta com financiamento do Governo cabo-verdiano, que acredita irá dar um importante contributo na promoção do país.
"Existe uma boa parceria entre os produtores, atores e cineastas portugueses e cabo-verdianos, e isso deixa uma escola, uma aprendizagem muito importante, além de ser a forma de conquistarmos palcos do cinema internacional", considerou na semana passada o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, durante uma visita ao local das gravações.

segunda-feira, fevereiro 27, 2017

Refugee Policies 1930s - 2010s

IHRA Newsletter 4 | 2017  - Concluding the Conference on Refugee Policies  
16 - 17 February 2017
On 17 February 2017 the International Holocaust Remembrance Alliance (IHRA)  in cooperation with the Holy See successfully concluded the two-day conference “Refugee Policies from 1933 until Today: Challenges and Responsibilities” at the Palazzo della Cancelleria in Rome.

The conference brought together international experts to explore the topic of refugee policies, and their impact, from the 1930s to the present day. Over the two days, around 200 participants from more than 20 countries attended the conference. The audience were addressed by 22 speakers; representatives of the Holy See, and international organizations as well as university scholars.

The preliminary outcomes and suggestions - for policy-makers, international organizations and civil society -  which emerged from the conference included; collecting war crimes evidence from refugees, enhancing cooperation between NGOs and the state, and reaffirming respect for the value of international law, its implementation, and human rights. The perspective of refugees, and the impact of statelessness and powerlessness on displaced persons were also highlighted.

The conference was closed by Mr. Stephane Jaquemet, Regional Representative for Southern Europe at UNHCR and Prof. Michael O’Flaherty, Director of the European Agency for Fundamental Rights. Professor O'Flaherty closed the conference by saying “I believe that the Human Rights system we have constructed is resilient and will provide the answers we need.”

Videos of the conference panels will be available this month on IHRA's Youtube Channel.

Read more about the conference, the programme and the speakers: 
http://bit.ly/2kZUIDT#seekingprotection 

sábado, fevereiro 25, 2017

Seremos altruistas por puro egoismo ?

Olhando em nosso redor, parece que encontramos muitos mais pessoas egoístas que altruístas.

Por isso, damos tanto valor ao extraordinário altruísmo de verdadeiros heróis como Aristides de Sousa Mendes, e que o apontamos como um exemplo a seguir.

O egoísmo será a regra e o altruísmo a excepção? 

Não.  Antes pelo contrário! Os especialistas dizem que a generosidade está implantada no nosso cérebro e que a cooperação é um factor de sucesso, segundo os artigos de Sara Sá na revista Visão.

"Homens e animais evoluíram para cooperarem e serem justos. Porque isto lhes é vantajoso".

Manda a Teoria da Evolução que a seleção natural leve os indivíduos a comportarem-se de forma a potenciar a sua integração no grupo a fim de beneficiarem do apoio colectivo.   Ajudar a manter a coesão do grupo,   protege-nos de outras ameaças. Ser bom para o próximo, faz-nos mais fortes. Experiências com crianças muito pequenas mostram que somos eminentemente pró-sociais, motivados a ajudar o próximo, para ser justos, para partilhar as bolachas ou os brinquedos ...

Ainda bem que viemos bem "programados" para praticar o altruísmo no dia à dia.  
Por isso os especialistas dizem que "somos altruístas por puro egoísmo".

Na vida real, os grandes atos de altruísmo continuam a ser excecionais, e servem para nos apontar e recordar o bom caminho:  aquele por onde, juntos, vamos mais longe.

Visão 2015 http://visao.sapo.pt/opiniao/a-curiosidade-salvou-o-gato-sara-sa/2015-11-05-Somos-altruistas-por-puro-egoismo

Visão | Somos altruístas, por puro egoísmo

visao.sapo.pt/opiniao/a...salvou.../2015-11-05-Somos-altruistas-por-puro-egoismo

05/11/2015 - Experiências com crianças muito pequenas mostra que somos eminentemente pró-sociais, motivados a ajudar o próximo, mesmo que estes ...

Visão | Somos altruístas por puro egoísmo

visao.sapo.pt/iniciativas/visaosolidaria/2016-12-04-Somos-altruistas-por-puro-egoismo

04/12/2016 - A generosidade está implantada no nosso cérebro e é o resultado da evolução - somoscondicionados a fazer o bem e foi isso que nos salvou ...


Somos altruístas, por puro egoísmo | Portugal News

www.portugalnews.pt/mundo/somos-altruistas-por-puro-egoismo/
05/11/2015 - Homens e animais evoluíram para cooperarem e serem justos. Porque isto é vantajoso Ler mais: Somos altruístaspor puro egoísmo.

Somos altruístas por puro egoísmo | news | Visão - Geral | Artigos e ...

www.artigosenoticias.com/noticia/all/.../somos-altruistas-por-puro-egoismo.html

04/12/2016 - Artigos e Notícias de Portugal e do Mundo - A generosidade está implantada no nosso cérebro e é o resultado da evolução - somos ...

segunda-feira, janeiro 09, 2017

Faleceu Mário Soares, grande amigo de Sousa Mendes

Faleceu Mário Soares,  o antigo Presidente da República Portuguesa de 1986 a 1996. e  um grande amigo da causa de Aristides de Sousa Mendes.  

Apesar dos esforços dos filhos de Sousa Mendes, o processo de reabilitação de Aristides iniciou-se depois da Revolução dos Cravos em  25 de abril de 1974, com a eclosão da "Revolução dos Cravos". No entanto, o chamado "Caso Sousa Mendes" e a história de seu protagonista só vieram a público em Portugal em 1976, com a publicação de um artigo do jornalista Antonio Colaço, no Diário Popular. Em 1979, mais um texto, dessa vez do escritor António Carvalho, é publicado no jornal A Capital.

Oito anos mais tarde, é dado o primeiro passo para o reconhecimento  de Sousa Mendes, na Embaixada de Portugal em Washington (EUA), e, em 24 maio de 1987, o então presidente Mário Soares concede, postumamente, ao diplomata, a Ordem da Liberdade. Um ano depois, o Parlamento português o reabilita oficialmente, por unanimidade e aclamação, e sua família recebe uma indemnização por perdas e danos.

Em  Maio de 1994, Mário Soares prestou homenagem a Aristides de Sousa Mendes em Bordéus.

Em  Fevereiro de 2000,  a sua mulher Maria Barroso ajudou a criar a Fundação Aristides de Sousa Mendes da qual for Presidente Honorária. 

Fontes: http://www.margaridasantos.net/paginas/Destaque.htm e http://www.aristidesdesousamendes.com/zcomite.htm