Pesquisar neste blogue

A carregar...

Tradutor

terça-feira, junho 28, 2016

Grupo da Sousa Mendes Foundation recebido em Bayonne

O grupo da Sousa Mendes Foundation no Caminho da Liberdade foi recebido hoje pelas autoridades municipais em Bayonne.

O grupo inclui três beneficiários diretos que receberam visas de Aristides de Sousa Mendes e passaram por Portugal na sua infância, e muitos descendentes de outros refugiados.  

segunda-feira, junho 20, 2016

Blog Amigos de Sousa Mendes celebra 10 anos e 127 mil visualizações

Dia da Consciência - 17 de Junho 2006

Faz hoje 66 anos que, após vários dias de angustia face ao avanço das tropas invasoras e do avolumar de refugiados, Aristides de Sousa Mendes, Consul de Portugal em Bordeaux iniciou uma das maiores acções de salvamento levadas a cabo por uma pessoa individual durante a Segunda Guerra Mundial (WWII) com o apoio da sua mulher Angelina e da sua família, e contra as ordens expressas do seu governo.


Esta data do Dia da Consciência, foi marcada por um evento em Cabanas de Viriato

Evento:  11:30 Missa na Igreja Paroquial de Cabanas de Viriato e visita ao Mausoléu Sousa Mendes

13:00 Visita a parte da ruína da Casa do Passal

15:30 Encontro na Escola Aristides de Sousa Mendes, Cabanas de Viriato e visita ao percurso Sousa Mendes no recinto da escola

16:00 Apresentação de Estudo Prévio de Arquitectura pela Direcção Geral de Edificios e Monumentos Nacionais

17:00 Apresentação dos Amigos de Aristides e Angelina Sousa Mendes

Esteveram presentes cerca de 25 pessoas que têm trabalhado em diversas formas para divulgar o Acto de Consciência de Aristides de Sousa Mendes.

A criação do Museu Sousa Mendes na casa da familia em Cabanas de Viriato vai depender do empenho e dedicação de todos.

Fundação Aristides de Sousa Mendes
Cabanas de Viriato
Beijós terra natal de Angelina de Sousa Mendes
Carregal do Sal
Bordeaux
Israel
Museum of Jewish Heritage 
Consciência de Sousa Mendes 

Livro Aristides Semeador de Estrelas

aristides_capaTítulo completo: Aristides, o semeador de estrelas
Autor: Ana Cristina Luz (texto) e António de Moncada Sousa Mendes (ilustrações)
Colecção: Extra colecção
ISBN: 978-989-8044-61-7
N.º de páginas: 16
Preço: 3 euros
Disponibilidade: Disponível junto da autora [anacristina199@gmail.com]
Sinopse:
Aristides de Sousa Mendes foi uma figura notável da nossa história. Cônsul de Portugal em Bordéus em 1940, quando da invasão da França pela Alemanha nazi, concedeu cerca de 30 mil vistos de entrada em Portugal, em desobediência a Salazar, salvando dezenas de milhares de vidas durante a Segunda Guerra Mundial.
Este gesto ditou a sua desgraça e a da sua família. Morreu sozinho, na mais profunda miséria, com a família espalhada pelos quatro cantos do mundo, por uma questão de sobrevivência. Como se o castigo dado pelo regime fascista não fosse suficiente, o seu nome foi votado ao mais ignóbil esquecimento durante décadas.
Foi apenas dez anos após o 25 de Abril de 1974 que o seu nome foi reabilitado oficialmente, como autor de um gesto que salvou milhares de pessoas.
O livro “Aristides, o semeador de estrelas”, ilustrado pelo neto daquele humanista e produzido pela Textiverso, conta às nossas crianças a história de um homem que ouviu a voz do seu coração. Se, do espaço, à noitinha, olhássemos para o planeta Terra e se uma luz se acendesse por cada um daqueles que já foram meninos e meninas ou ainda o são e que devem as suas vidas a pessoas como Aristides, o nosso planeta ficaria quase todo iluminado!

Fonte: http://www.textiverso.com/index.php/extra-coleccao/194-aristides-o-semeador-de-estrelas 

domingo, junho 19, 2016

Zarpar da Rocha Conde de Òbidos

O cais da Rocha Conde de Óbidos do Porto de Lisba visto muitas chegadas e partidas, quase sempre dramáticas.
Ver imagens em 
http://restosdecoleccao.blogspot.pt/2012/06/gare-maritima-da-rocha-do-conde-de.html

Foi um dos pontos de partida do navio Serpa Pinto que fez numerosas viagens cheio de refugiados durarnte a Segunda Guerra
Ver http://restosdecoleccao.blogspot.pt/2015/10/paquete-serpa-pinto.html

quarta-feira, junho 01, 2016

GECoRPA e o Património Culutural

Qualidade ou "preços esmagados"? GECoRPA escreve ao novo Diretor-Geral do Património Cultural

Casa do Passal: Recuperação a
Casa do Passal: Recuperação a "preços de saldo". A qualidade pouco interessa.
Além de denunciar a práticade de adotar, em obras em monumentos e edifícios históricos, o preço mais baixo com critério único de adjudicação, ignorando a valia técnica das propostas apresentadas, a carta aponta também os inconvenientes da seleção, para intervenções no Património, de empreiteiros de construção civil "pura e dura", quando as empresas e os profissionais qualificados para trabalhar na área lutam com a falta de encomendas.
Em reunião recente com o novo Diretor-Geral do Património Cultural, Dr. Vassallo e Silva, o presidente do GECoRPA – Grémio do Património lembrou o clausulado do protocolo existente entre as duas entidades, no qual se preveem várias modalidades de colaboração no que se refere às qualificações a exigir às empresas que operam ou pretendem operar na área da conservação do Património, de modo a assegurar a qualidade das intervenções.
Invocando também o Decreto Regulamentar n.º 34/2007 de 29 de Março, segundo o qual devem as Direções Regionais de Cultura,"Gerir os monumentos, conjuntos e sítios que lhe forem afectos ... de acordo com as orientações vinculativas emanadas pelo Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, I. P.", o presidente do Grémio lembrou também, nessa altura, ser da competência da DGPC determinar, ou, pelo menos, recomendar, que as intervenções no património cultural construído sejam confiadas pelas Direções Regionais de Cultura exclusivamente a empresas adequadamente qualificadas.
Na carta agora dirigida ao Sr. Diretor-Geral do Património Cultural, O GECoRPA manifesta estranheza em relação ao procedimento seguido pela Direção Regional de Cultura do Centro para a recente adjudicação dos trabalhos de restauro da Casa do Passal, em Cabanas de Viriato, classificada como Monumento Nacional.
Nesse concurso, em vez de se adotar o procedimento do concurso limitado por prévia qualificação, de modo a assegurar a competência das empresas concorrentes e, assim, a qualidade da intervenção, foi adotado o procedimento concurso público, com o critério único de adjudicação ao preço mais baixo. Em resultado, os trabalhos foram entregues, a preços impeditivos de um trabalho com qualidade, a uma empresa sem currículo em Património Arquitetónico, que declara, como principal atividade, a "construção civil para terceiros, as obras públicas, a promoção imobiliária e também a compra de terrenos".
A carta aponta os graves inconvenientes para o Património deste tipo de atuação:
  • Dificulta a necessária observância dos princípios que devem nortear as intervenções no Património, e, desde logo, assegurar a qualidade das intervenções em termos de eficácia e durabilidade;
  • Desrespeita o que está determinado em cartas e recomendações internacionais sobre a conservação do Património. Cita-se apenas a Convenção Quadro de Faro, 2005, do Conselho da Europa, ratificada pelo Estado Português: "Para salvaguardar o património cultural as Partes comprometem-se a promover a elevada qualidade das intervenções através de sistemas de qualificação profissional e de acreditação de indivíduos, empresas e instituições."
  • Não contribui para promover a especialização das empresas dum segmento tão relevante para a economia como é a conservação e valorização do Património;
  • Não contribui para estimular a qualificação dos recursos humanos desse segmento de atividade;
  • Não contribui para a preservação de práticas e saberes que constituem, eles próprios, um importante património.
Em conclusão, o GECoRPA solicitou ao novo Diretor-Geral que sejam tomadas medidas para evitar a repetição deste tipo a atuação, concretamente, através da definição, em colaboração com o Grémio, das "orientações vinculativas" previstas na Lei, ou, pelo menos, de um conjunto de recomendações sobre as boas práticas neste domínio.
- See more at: http://www.gecorpa.pt/noticia.aspx?id=11&area=Vida%20Associativa&idn=305#sthash.Oj6apMzs.dpuf

Concurso para Memorial aos Refugiados, Vilar Formoso

Memorial aos Refugiados e Cônsul Aristides de Sousa Mendes em Vilar Formoso

Anúncio de procedimento  nº 2301/2016
Diário da República nº 76 série II de Ter, 19/04/2016
Entidade Emissora
Tipo de ContratoEmpreitadas de obras públicas
Modelo de AnúncioConcurso público
Preço Base765.368,00
CPV
Prazo para Apresentação de PropostasSegunda, 9 Maio, 2016
Contratos

Texto do Anúncio
MUNICÍPIO DE ALMEIDA 
Anúncio de procedimento n.º 2301/2016
MODELO DE ANÚNCIO DO CONCURSO PÚBLICO
1 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DA ENTIDADE ADJUDICANTE
NIF e designação da entidade adjudicante:
506625419 - Município de Almeida
Serviço/Órgão/Pessoa de contacto: Câmara Municipal de Almeida
Endereço: Praça da Liberdade
Código postal: 6350 130
Localidade: Almeida
Telefone: 00351 271570020
Fax: 00351 271570021
Endereço Eletrónico: camara@cm-almeida.pt
2 - OBJETO DO CONTRATO
Designação do contrato: Memorial aos Refugiados e Cônsul Aristides de Sousa Mendes em Vilar Formoso
Descrição sucinta do objeto do contrato: Recuperação de dois armazéns existentes para instalação de um memorial aos refugiados e ao
Cônsul Aristides de Sousa Mendes ( museu)
Tipo de Contrato: Empreitada de Obras Públicas
Valor do preço base do procedimento 765368.02 EUR
Classificação CPV (Vocabulário Comum para os Contratos Públicos)
Objeto principal
Vocabulário principal: 45212313
Valor: 765368.02 EUR
3 - INDICAÇÕES ADICIONAIS
O concurso destina-se à celebração de um acordo quadro: Não
O concurso destina-se à instituição de um sistema de aquisição dinâmico: Não
É utilizado um leilão eletrónico: Não
É adotada uma fase de negociação: Não
4 - ADMISSIBILIDADE DA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS VARIANTES: Não
6 - LOCAL DA EXECUÇÃO DO CONTRATO
Vilar Formoso 
País: PORTUGAL
Distrito: Guarda
Concelho: Almeida
Código NUTS: PT168
7 - PRAZO DE EXECUÇÃO DO CONTRATO Empreitadas de obras públicas
Prazo contratual de 270 dias contados nos termos do disposto no nº 1 do artigo 362º do CCP
8 - DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO, NOS TERMOS DO N.º 6 DO ARTIGO 81.º DO CCP
Declaração emitida conforme modelo constante do anexo II do Código dos Contratos Públicos (CCP); Documentos comprovativos de
que não se encontra nas situações previstas nas alíneas b), d), e) e i) do artigo 55º do CCP; Alvará (ou cópia simples do mesmo) emitido
pelo IMPIC, , contendo as seguintes autorizações :
5.ª subcategoria da 1ª categoria, em classe que cubra o valor global da proposta.
e A 1.ª, 2ª, 4ª e 8ª subcategoria da 1.ªcategoria ; 8ª subcategoria da 2ª categoria ; 1ª ; 7ª e 10ª subcategoria da 4ª categoria , em classe
correspondente à parte dos trabalhos a que respeitam, caso o concorrente não recorra a outro(s) concorrente(s) ficando a ele(s)
vinculado, por contrato para a execução dos trabalhos correspondentes
9 - ACESSO ÀS PEÇAS DO CONCURSO E APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS
9.1 - Consulta das peças do concurso
Designação do serviço da entidade adjudicante onde se encontram disponíveis as peças do concurso para consulta dos interessados:
Departamento Técnico de Obras Urbanismo e Serviços Urbanos
Endereço desse serviço: Praça da Liberdade
Código postal: 6350 130
Localidade: Almeida
Telefone: 00351 271570026
Fax: 00351 271570021
Endereço Eletrónico: dep.tecnico@cm-almeida.pt
9.2 - Meio eletrónico de fornecimento das peças do concurso e de apresentação das propostas
Plataforma eletrónica utilizada pela entidade adjudicante
Vortal (http://portugal.vortal.biz/)
10 - PRAZO PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS OU DAS VERSÕES INICIAIS DAS PROPOSTAS SEMPRE QUE SE
TRATE DE UM SISTEMA DE AQUISIÇÃO DINÂMICO
Até às 23 : 59 do 20 º dia a contar da data de envio do presente anúncio
11 - PRAZO DURANTE O QUAL OS CONCORRENTES SÃO OBRIGADOS A MANTER AS RESPETIVAS PROPOSTAS
66 dias a contar do termo do prazo para a apresentação das propostas
12 - CRITÉRIO DE ADJUDICAÇÃO
Mais baixo preço
13 - DISPENSA DE PRESTAÇÃO DE CAUÇÃO: Não
14 - IDENTIFICAÇÃO E CONTACTOS DO ÓRGÃO DE RECURSO ADMINISTRATIVO
Designação: Município de Almeida
Endereço: Praça da Liberdade
Código postal: 6350 130
Localidade: Almeida
Telefone: 00351 271570020
Fax: 00351 271570021
Endereço Eletrónico: camara@cm-almeida.pt
Prazo de interposição do recurso: 5 dias
15 - DATA DE ENVIO DO ANÚNCIO PARA PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DA REPÚBLICA
2016/04/19
16 - O PROCEDIMENTO A QUE ESTE ANÚNCIO DIZ RESPEITO TAMBÉM É PUBLICITADO NO JORNAL OFICIAL DA  UNIÃO EUROPEIA: Não
17 - OUTRAS INFORMAÇÕES
Regime de contratação: DL nº 18/2008, de 29.01
18 - IDENTIFICAÇÃO DO AUTOR DO ANÚNCIO
Nome: António Baptista Ribeiro
Cargo: Presidente da Câmara Municipal de Almeida
409520573
Fonte: https://www.mestredobras.pt/Concurso-Publico/77895/-Memorial-aos-Refugiados-e-Consul-Aristides-de-Sousa-Mendes-em-Vilar-Formoso

Carregal premiado na BTL 2016 com replica da fachada da Casa do Passal

Melhor Stand Público da BTL 2016 para Carregal do Sal

A Câmara Municipal de Carregal do Sal recebeu ontem o prémio de Melhor Stand Público da BTL 2016.
O presidente da edilidade carregalense, Rogério Mota Abrantes; a Vereadora Ana Cristina Borges e três técnicos da Autarquia participaram na cerimónia, que decorreu na Fundação AIP, em Lisboa.
Ao receber o galardão das mãos do presidente do Conselho Estratégico da BTL, Vítor Neto, o edil carregalense, sublinhou a honra de tal distinção, sobretudo porque “somos um concelho pequeno do interior do país”. E o interior, sublinhou, “é muitas vezes esquecido pelo turismo mas tem muitas coisas boas.” Lembrou então a primeira vez que o Concelho se fez representar na BTL, em 2015 – com um stand de 3x3 – e a partir dessa participação, “pensámos logo no ano seguinte”.
“Viemos com um stand de homenagem a Aristides de Sousa Mendes, natural do Concelho”, uma “aposta em grande que nos traz uma grande responsabilidade a pensar já em 2017”.
Terminou com os agradecimentos à Vereadora Ana Cristina Borges e à equipa que tornou possível a participação de Carregal do Sal na BTL.
Recorde-se que a Réplica da fachada da Casa do Passal, com que a Câmara se apresentou na BTL 2016, foi construída e cenografada por Paulo Cruz e Nélida Cruz (que contaram com a colaboração de trabalhadores da Autarquia), e serviu de palco aos momentos teatrais “Eu Sou Aristides”, interpretados pelo ator Hugo Rendas, numa encenação de António Leal, a partir do texto de Sandra Viegas Leal.
E nem a propósito, na abertura da sessão, o presidente da Fundação AIP, Rocha de Matos, afirmou que as distinções constituem “uma prova do reconhecimento da qualidade do trabalho e do empenho das entidades que participam na BTL, pois são elas os seus verdadeiros arquitetos” e sublinhou o êxito da Bolsa de Turismo de Lisboa que registou, este ano, mais 4% de visitantes, ultrapassando os 75.400.
Para além do prémio Melhor Stand Público atribuído a Carregal do Sal, foram ainda entregues mais três prémios: Melhor Stand Profissional, à Madeira e duas menções honrosas, respetivamente à SATA e ao stand do Turismo de Marrocos.