Pesquisar neste blogue

A carregar...

Tradutor

segunda-feira, julho 27, 2015

O Dever de Memória na Lusofonia passa pelo Tarrafal

(in English below)
O outro 1940 está inscrito no pavimento em frente ao posto de Socorro que funcionava como morgue, no Campo do Tarrafal em Cabo Verde.

As datas não enganam. Enquanto a onda de totalitarismo se expandia pela Europa, foi criada pelo Governo de Salazar em 1936, a Colónia Penal do Tarrafal  para receber o crescente número de presos políticos.  As primeiras libertações  foram apenas em 1944, e o campo continuou até 1954.

Mais tarde, o campo foi reaberto para albergar prisioneiros das guerras coloniais.

O Campo prisional do Tarrafal seria certamente um importante candidato a Sitio da Consciência.

WMF Watch List 2006  http://www.wmf.org/project/tarrafal-concentration-camp

Ver mais em http://patrimonium-cv.blogspot.pt/2011/01/do-campo-de-concentracao-do-tarrafal-ao.html  e em
http://jugular.blogs.sapo.pt/1793383.html

Ver mais em
http://palabra-lopez.blogspot.pt/p/campo-de-concentracao-do-tarrafal.html 
As crianças aparecem logo que o carro estaciona.  Os mais crescidos fazem de guia cultural, contam o que sabem da história dos presos políticos portugueses, angolanos, guineenses.

Os miúdos não conseguem explicar a diferença entre prisioneiros políticos e prisioneiros por delito comum.  Valha-nos a inocência das crianças que ainda não sabem o que é viver sem liberdade.

A "colónia penal do Tarrafal" é um lugar importante a conhecer, um capitulo a não esquecer  na história da Lusofonia.
Muito obrigada ao jovem guia Jamir Tavares.

Depois, em compensação há  um bela praia mais adiante, e um óptimo almoço de polvo fresquinho grelhado.

Quem gosta da escola, ponha o dedo no ar !  Todos!

Tarrafal Concentration Camp 1936-1954

Built by Portuguese dictator Antonio de Oliveira Salazar in 1933, the prison camp of Tarrafal on Santiago Island housed political prisoners and Africans rebelling against colonial rule in Cape Verde, Angola, and Guinea-Bissau, who were held here until Cabo Verde won its independence in 1975. Since then, the complex of prison cells, administrative facilities, and a small railway for the transport of supplies and fuel has been used as a military base, a refugee camp, a storage facility, and a school. These functions caused changes and alterations that have damaged and disfigured the site. Most of its buildings lack windows and doors and many of the buildings’ roofs are missing or badly damaged.
While it is often difficult to find support for places that highlight dark chapters in human history, sites such as Tarrafal serve as important reminders of the history of humankind’s quest for freedom.
In 2009 an international symposium on the former Tarrafal concentration camp took place in  Praia, Cape Verde, on the 35th anniversary of the camp’s closing. The symposium was attended by former political prisoners and specialists from the countries of Cape Verde, Angola, Guinea Bissau and Portugal. The Tarrafal Concentration Camp has since been turned into a museum, the Museu da Resistência, displaying photos, plaques, and artifacts.   November 2014

Tarrafal: Memórias do Campo da Morte Lenta,  Um filme de Diana Andringa
Ver - http://www.ces.uc.pt/eventos/pdfs/Apresenta_FILME.pdf

Foram mais de 30  os prisioneiros que morreram no Campo do Tarrafal  
http://palabra-lopez.blogspot.pt/p/campo-de-concentracao-do-tarrafal.html

Ver mais  sobre o Tarrafal em https://en.wikipedia.org/wiki/Tarrafal_camp


PT-TT-PIDE-E-10-1-74_m0162.tiff - Jaime Fonseca e Sousa - Arquivo Nacional da Torre do Tombo – DigitAr

1940 Jaime Fonseca de Sousa, morre no Tarrafal, vítima de maus tratos 

Sem comentários: