Pesquisar neste blogue

Tradutor

domingo, novembro 12, 2017

Teatro "Um Visto para a Vida, Anadia, 10-Novembro

“O BALUARTE” NO CINETEATRO ANADIA COM "UM VISTO PARA A VIDA"



“O BALUARTE” NO CINETEATRO ANADIA COM "UM VISTO PARA A VIDA"

O grupo de teatro “O Baluarte”, de Amoreira da Gândara, Anadia, vai estrear, no dia 10 de novembro, sexta-feira, pelas 21h30, no Cineteatro Anadia, a peça “Um Visto para a Vida”, sobre a vida do cônsul português Aristides de Sousa Mendes.
Baluarte

Foi em Cabanas de Viriato, concelho de Carregal do Sal, que Aristides de Sousa Mendes nasceu a 19 de julho de 1885, alguns minutos depois de César, seu irmão gémeo. Em 1907, ambos concluíram a licenciatura em Direito pela Universidade de Coimbra, e, nesse mesmo ano, Aristides casou com Maria Angelina Coelho de Sousa, sua prima e namorada de infância, de quem teve catorze filhos. No ano seguinte, e já em Lisboa, os dois irmãos enveredaram pela carreira diplomática. Exerceu funções consulares, sempre acompanhado pela família, em Zanzibar, Brasil, Estados Unidos da América, Espanha, Bélgica, e França.
A 1 de setembro de 1939, a Alemanha invadia a Polónia, tendo início a II Grande Guerra. Entre novembro de 1939 e junho de 1940, em Bordéus, Aristides de Sousa Mendes emite milhares de vistos consulares a cidadãos judeus russos, polacos, checos, luxemburgueses, belgas e espanhóis, permitindo, assim, que muitos milhares (fala-se em 30.000) escapassem a uma morte certa. Mas, em junho de 1940, surgem os primeiros processos disciplinares contra o cônsul, situação que o leva ao desespero, perante a sua incapacidade de garantir o sustento dos filhos por lhe ser negado trabalho.
Em 1948, morre a sua esposa Angelina, e Aristides de Sousa Mendes casa com Andrée Cibial, de quem já tinha uma filha. A penúria e a escassez de meios são tão grandes que as portas da casa servem para acender a lareira da cozinha. Os filhos emigram.
Aristides de Sousa Mendes morre a 3 de abril de 1954, no Hospital da Ordem Terceira de S. Francisco, acompanhado por uma sobrinha. O seu corpo desce à terra envergando roupas franciscanas, porque não possuía outras. Dois dias após a sua morte, o seu irmão César recebe uma carta de Salazar com uma só palavra: “Condolências”.
Os bilhetes para este espetáculo já se encontram à venda e podem ser adquiridos no Cineteatro Anadia às sextas-feiras e sábados, das 20h00 às 22h00, e no dia do espetáculo, a partir das 14h00. Os ingressos estão também disponíveis na bilheteira online BOL (www.bol.pt), nos CTT, Fnac, Worten e noutros postos BOL. O bilhete tem o custo de 3,5 euros, estando reservado um desconto de 50% aos portadores dos cartões Anadia Jovem e Anadia Sénior, bem como às crianças dos 6 e aos 11 anos de idade.

Sem comentários: